O conselho naval no oitocentos

propostas para o estudo da relação entre civis e militares no Império

  • Renato Jorge Paranhos Restier Júnior Historiador e mestrando em História Política pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Primeiro-Tenente do Quadro Técnico Temporário da Marinha, Encarregado da Divisão de Pesquisas Históricas da Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha. Sócio Honorário do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil – IGHMB – e pesquisador associado do Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais – LEDDES/UERJ.
Palavras-chave: Império do Brasil, Marinha, Conselho Naval

Resumo

O presente ensaio tem como objetivo propor algumas reflexões a respeito das possibilidades de estudo sobre os militares e as instituições militares a partir da história social. Utilizando-nos do Conselho Naval, órgão consultivo criado na estrutura organizacional da Secretaria de Estado dos Negócios da Marinha no Segundo Reinado, propomos o estudo da relação entre civis e militares a partir da inserção dos primeiros no meio militar. Além do grande desconhecimento sobre o papel desta instituição para o Ministério da Marinha e para o Estado Imperial de uma maneira geral, não se conhece o papel do Conselho Naval entre as instituições da monarquia por onde circularam as elites do Império, visto que, desde seu início, a instituição em questão foi ocupada por grandes personalidades como o Visconde do Rio Branco e Zacarias de Góes e Vasconcellos.

Publicado
2020-05-14