Os conflitos do ilícito comércio e a Marinha brasileira

  • Gustavo Pinto de Sousa Mestrando em História Política pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Bolsista Capes. Pesquisador Associado do Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais – LEDDES/UERJ.
Palavras-chave: ilícito comércio, escravidão, marinha

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir os conflitos do ilícito comércio e a Marinha brasileira, entre os anos de 1831 e 1850. O fio condutor dessa trama é a aprovação da Lei de 7 de novembro de 1831 e os desdobramentos da política escravista em relação ao comércio atlântico. Os navios negreiros aprendidos, os africanos livres e o processo de nacionalidade aparecem como elementos importantes para a compreensão do quadro político, social e econômico, no que tange às peripécias do complexo sistema escravista. Por fim, o “infame comércio”, apreciado nesse trabalho, busca estudar as redes de poder que a escravidão suscitou dentro da política imperial.

Publicado
2020-05-14